quarta-feira, agosto 12
Shadow

Previsão de valor astronômico de US$155 bi no setor de apostas esportivas até 2024

Previsão de valor astronômico de US$155 bi no setor de apostas esportivas até 2024
Liberação dos jogos no país poderia ser uma alternativa que ajudaria o país na recuperação econômica

Que o ramo dos jogos de azar movimenta muito dinheiro todos nós sabemos, mas em um relatório recente divulgado pela Zion Market Research, descobriu-se que as apostas esportivas podem alcançar a receita de US$ 155 bilhões ao redor do mundo em 2024. Um ramo que tem se tornado cada vez mais popular, principalmente com o advento da internet, apostar ficou muito mais fácil para a maioria dos jogadores. Há diversos esportes que atraem a atenção da comunidade palpiteira, mas o futebol europeu é o preferido entre os jogadores e o que tem a maior receita, sendo seguido pelo baseball, tênis, boxe, futebol americano, etc. O apostador pode escolher entre a maioria dessas opções para dar o seu palpite e tentar a sorte grande.

Apostar online facilita a diversão
O nicho das apostas esportivas já detém cerca de 70% de todo o valor que é gerado com o setor das apostas e ainda está em ascensão, já superando qualquer outro tipo de jogos de azar, como as loterias. Com o incremento tecnológico ficou cada vez mais fácil participar dessas disputas e dar o seu pitaco – um dos maiores avanços do ramo são os sites de apostas confiáveis que oferecem bônus sem depósito, em que você pode testar suas habilidades e se divertir ao mesmo tempo.

A possibilidade de se realizar palpites online, tornou-se o foco do setor, fazendo com que todo o processo seja mais rápido, prático e conveniente para a maioria absoluta das pessoas. Apesar disso, alguns governos não enxergam a prática com bons olhos, e cada vez mais estipulam regulamentações mais rígidas, que podem ser um obstáculo para o mercado online.

Contudo, o mercado global de apostas esportivas está em uma ascensão impressionante. De acordo com o relatório da Zion Market Research, em 2017 o setor foi avaliado em mais de US$ 104 bilhões, com uma estimativa de alcançar os US$ 155 bilhões até 2024. Nos Estados Unidos, a Suprema Corte derrubou em 2018 a proibição sobre apostas esportivas, e a partir de então todos os estados do país puderam permitir a atividade, sendo New Jersey o pioneiro a legitimar este nicho de mercado.

Brasil e a legalização dos jogos de azar
O Brasil atravessa uma crise financeira já há alguns anos, e a busca por investidores e novos empreendimentos são constantes. Uma ala de políticos acredita que uma das principais alternativas que ajudaria o país em uma recuperação econômica seria a legalização dos cassinos, já que é um mercado que tem a possibilidade de gerar e movimentar bilhões de reais, favorecendo tanto a criação quanto a manutenção de empregos, e consequentemente uma maior arrecadação fiscal para o país, além de fomentar o turismo nas regiões dos cassinos.

Um dos principais defensores da legalização, o deputado federal Rodrigo Coelho (PSB/SC) que critica o governo e sua postura em relação aos cassinos e jogos de azar, “A verdade é que o Governo Federal tem o monopólio dos jogos de azar no país, através da Mega Sena e outros explorados pela Caixa e que movimentam cifras bilionárias. Sem falar no jogo do bicho, existente há anos e que não é legalizado. Ao invés de lutar contra, por que não lutamos a favor? Imaginem que, com a atividade regulamentada, seria possível ampliar, por exemplo, os investimentos públicos em saúde, educação, segurança, infraestrutura, etc.” disse Rodrigo Coelho.

O Brasil já teve um projeto no congresso em 1991 que previa a liberação dos cassinos, porém não foi adiante. Conhecida com PL nº 422/1991 é um dos projetos defendidos pelo deputado: “O PL nº 442/1991 é um grande projeto, com regras específicas e bem rigorosas, que evitam a lavagem de dinheiro e garantem o correto funcionamento de cassinos, que só poderão existir em estabelecimentos hoteleiros integrados, tipo resorts”.